Marcio Pauliki - Compromisso com você
Facebook Twitter Instagram

Nova proposta pode pôr fim à greve dos professores

Compartilhe nas redes sociais:

05/04/2021

Uma nova proposta de reajuste no salário do funcionalismo foi apresentada e pode colocar um fim à greve dos servidores da educação que já dura 40 dias. A reposição da inflação verificada entre maio e dezembro de 2014 será de 3,45%, em parcela única, a ser paga em outubro. Além disso, janeiro de 2016 fica estabelecido para a antecipação da data-base em percentual equivalente ao IPCA acumulado entre os meses de janeiro de 2015 a dezembro de 2015. Estimando uma inflação da ordem de 8,26% em 2015, o reajuste ficaria em 12%. 

Em janeiro de 2017, será pago um adicional de 1% relativo à compensação dos meses não pagos em 2015. Ela foi sancionada pelo governo do Paraná e aguarda o posicionamento da App-Sindicato. As entidades deverão convocar uma assembleia na sexta para avaliar a proposta. Mais do que nunca é a hora de buscar o entendimento e o consenso. O Executivo teve a sensibilidade de fazer o que tenho falado nas duas últimas semanas, que é repor a perda de quase 40% nos salários decorrente do pagamento parcelado apenas a partir de setembro, frisa o deputado estadual Marcio Pauliki. 

A proposta anterior do governo previa zerar a inflação de 2014 a partir de setembro, em três parcelas de 1,137%. Pauliki adverte que essa não é a proposta que ele gostaria. Defendo o reajuste de 8,17% dentro da data-base. Nesta sexta, vou pagar dissídio de 8,8% a meus colaboradores. Se o estado impõe à iniciativa privada o reajuste do salário mínimo regional, seria interessante que fizesse o mesmo para seus funcionários públicos. Vale ressaltar que o valor da inflação no Paraná é o dobro do verificado no restante do país devido aos ajustes fiscais promovidos pelo Executivo, destaca. 

A busca por um acordo acabou motivando o surgimento de uma bancada independente na Assembleia Legislativa do Paraná e foi decisiva na articulação da proposta. Ela é composta por 14 deputados, entre eles Marcio Pauliki, que se posicionaram contra a Comissão Geral, contra as reformas no Paranaprevidência e a favor da reposição de 8,17% dentro da data-base.  Leia mais sobre esse assunto: http://www.acipg.org.br/votecandidatodaqui/blog1.php/nova-proposta-pode-por-fim

Leis criadas e aprovadas