Marcio Pauliki - Gestão do jeito certo e de resultados

SIGA NAS REDES SOCIAIS

Facebook Twitter Instagram

Pauliki cobra posicionamento do Ministério dos Transportes sobre a greve dos caminhoneiros

Compartilhe nas redes sociais:

O deputado estadual Marcio Pauliki, presidente da Comissão da Indústria, Comércio, Emprego e Renda da Assembleia Legislativa do Paraná, encaminhou um ofício ao Ministério dos Transportes cobrando um posicionamento do órgão sobre a greve dos caminhoneiros. Também assina o ofício o presidente Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicação, deputado Tião Medeiros.

Preocupado com o rumo da paralisação, Pauliki solicita informações sobre as reivindicações dos caminhoneiros. “Sabemos da extrema importância dos caminhoneiros para a economia de todo o Brasil. É preciso encontrar caminhos para solucionar esse impasse”, salienta o deputado.

No documento, Pauliki pede providências em relação ao pleito da categoria dos caminhoneiros de todo Brasil, em especial sobre a redução da carga tributária incidente sobre operações com óleo diesel a zero; que sejam isentas as Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide); aplicação da isenção de cobrança de pedágios sobre os eixos erguidos e a aprovação do marco regulatório dos caminhoneiros.

Os caminhoneiros também reivindicam frete com valor de referência mínima por quilômetro rodado; possibilidade de renovação de frota do caminhoneiro autônomo com financiamento através do CPF, com carência de um ano e possibilidade de pagamento em até 10 anos com juros subsidiados.

“O aumento constante do preço nas refinarias e dos impostos que recaem sobre o óleo diesel tornou a situação insustentável para o transportador autônomo. Além da correção quase diária dos preços dos combustíveis realizado pela Petrobrás, que dificulta a previsão dos custos por parte do transportador”, destaca Pauliki.

Segundo o deputado, todo aumento no custo dos transportes gera prejuízos para toda a sociedade. “Estes aumentos nos custos dos transportes gera um aumento em cadeia de meio produtivos e de produtos finais, atingindo toda população”, ressalta.